Você pratica a ESCUTATÓRIA?

Você pratica a ESCUTATÓRIA?

É assim que Rubem Alves fala sobre a nossa dificuldade de escutar os outros no texto “Escutatória”:

“Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular. Escutar é complicado e sutil…”

Pois é, ouvir mecanicamente pode até ser fácil, mas trabalhar a tão sonhada ESCUTA ATIVA não é simples como parece. E já que trabalho com Oratória e Persuasão Positiva há 08 anos, resolvi abordar esse tema para mostrar em 03 passos como aprimorar o seu poder de escuta. Afinal, não existe persuasão e oratória sem conhecimento e conexão com o público.

1) ABRA OS OUVIDOS E A MENTE:

E o primeiro passo é sobre ajustar o EGO.

O nosso ego quer reconhecimento, quer confirmação do que já conhecemos e acreditamos. Por isso, tome muito cuidado! Antes de abrir os ouvidos é preciso abrir a mente, flexibilizar.

A escuta ativa começa nos ouvidos, mas não é feita apenas por eles. Escutar ativamente é realmente estar disposto para o outro. Elimine distrações como celulares e TV, olhe para o outro enquanto ele fala, deixe ele falar sem interrupções, mesmo que sejam para complementar ou “agregar” com as suas experiências. 

Entenda que para esse processo ser enriquecedor, você deve deixar as suas crenças e interesses de lado e só ouvir, sem julgar.

2) AJUSTE FILTROS E INTERPRETAÇÕES:

Todos nós temos uma visão de mundo, das coisas ao nosso redor.  Mas você já observou como as pessoas filtram das situações apenas o que lhes interessa? Ou, muitas vezes, distorcem o que aconteceu para confirmar algo que ela já acreditava? E também falam como se todos tivessem a mesma opinião? Pois é, meu nobre Padawan(aprendiz Jedi), esses são os filtros mais utilizados por nós, segundo à PNL.

OMISSÃO – DISTORÇÃO – GENERALIZAÇÃO 

Ninguém vê o mundo como ele é, mas como nós somos. Esse é o motivo de você só enxergar o modelo de carro que você deseja nas ruas, não é que todos só compram ele agora, é que seu foco está ajustado para visualizá-lo e reter a informação. E esse processo está intimamente ligado às nossas EMOÇÕES, por isso fica fácil pegar uma frase e distorcer para CONFIRMAR o que acreditamos.

E essas falhas de interpretação são perigosíssimas no processo de escuta e nos nossos relacionamentos. E como ajustar isso? Conhecendo e trabalhando os seus filtros.

Quanto mais você souber o que te irrita, o que você distorce com mais frequência, o que você omite, quando generaliza, você ficará mais habilidoso em escutar sem criar falsas interpretações ou julgamentos. 

3) APRENDER NÃO É MUDAR

Quando entendemos que em toda escuta existe aprendizado, mas não necessariamente uma concordância, nós concluímos esse processo. Porque escutar o outro e RESPEITAR, não quer dizer AGIR como ele. 

Essa linha tênue que as pessoas colocam entre escutar e concordar vem do medo de confrontar as suas crenças e hábitos. Buscamos provar para nós mesmos que a nossa visão de mundo é correta, porque se não for, teremos que agir para mudar ou pelo menos aceitar que a nossa visão é falha, 02 coisas que nos trazem muita dor e que evitamos constantemente. 

A ótima notícia é que você pode escutar, respeitar e até continuar amigo de pessoas que não pensam e agem como você! E adivinha? Você não se tornará igual a elas por isso.

Você muda quando escolhe fazer do aprendizado uma mudança e levá-la para o seu dia a dia.

Tem uma frase que eu gosto muito e farei dela a minha finalização para o texto de hoje.

“Sabe o que é o AMOR? O amor é a ausência de JULGAMENTOS.” – Dalai Lama – 

Aprenda a escutar com qualidade e crie relacionamentos mais saudáveis! ; )

  • “Escutatória” é um texto do livro de Rubem Alves “O Amor que Acende a Lua”.
By |2019-08-30T10:30:09-03:0029 de agosto de 2019|Oratória, Retórica|0 Comments

Leave A Comment